PatoBranco.com

Executivos de associações empresariais do sudoeste do PR recebem capacitação sobre compras públicas

Publicado em: 17/04/2017 14:38

A implantação do programa Compra Sudoeste teve mais uma etapa realizada nesta terça-feira (11). Em Francisco Beltrão, na sede da Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Sudoeste do Paraná (Cacispar), executivos e colaboradores de 15 associações comerciais e empresariais participaram de capacitação sobre o Escritório de Compras Públicas (ECP) e assuntos relacionados.

No treinamento, os representantes das ACEs tiveram a oportunidade de entender como funciona o Escritório de Compras Públicas, resultado da parceria entre Sebrae/PR, Cacispar, Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) e Agência de Desenvolvimento Regional do Sudoeste do Paraná. O ECP monitora processos licitatórios e divulgar oportunidades para as pequenas empresas.

Segundo o consultor Gerson Miotto, gestor do programa de Políticas Públicas na regional Sul do Sebrae/PR, a capacitação pretende incluir as associações empresariais no programa Compra Sudoeste, cujas informações podem ser acessadas na internet (www.comprasudoeste.com.br).

"O Escritório de Compras Públicas é uma ferramenta a mais para aproximar as Prefeituras dos fornecedores. O objetivo é repassar aos executivos o potencial de compras e oportunidades de negócios na região Sudoeste e mostrar o ambiente legal - especialmente a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas (Lei Complementar nº 147)", explica Miotto.

Para o consultor, com o treinamento, as ACEs poderão auxiliar os seus associados a se cadastrarem no sistema e, assim, receber informações dos processos licitatórios nos municípios sudoestinos.

O presidente da Cacispar, Jair Divino dos Santos, adianta que a ação, desenvolvida com os demais parceiros, mostrará a importância de divulgar e centralizar os processos licitatórios no ECP.

"Estamos empenhados em promover a integração entre as Administrações Públicas e os microempreendedores individuais (MEIs) e micro e pequenas empresas. Queremos que as Prefeituras divulguem no site e que os empresários cadastrem-se e participem", resume Jair.

Desconhecimento inibe participação

Deize Lando, executiva da Associação Comercial e Empresarial de Ampére (Aceamp), acredita que o trabalho das ACEs pode contribuir para que um percentual maior do volume de recursos das compras públicas fique no município.

"O desconhecimento da legislação e dos procedimentos inibe a participação de muitos empresários. Muitos que não conhecem, acabam tendo uma visão deturpada. Conhecendo o processo, os empreendedores poderão preparar-se e concorrer efetivamente. As empresas poderão crescer e o dinheiro ficará no município, na região", avalia Deize.

Já Bruno D’Avila, executivo da Associação Empresarial de Pato Branco (ACEPB), diz que a entidade pretende multiplicar os conhecimentos obtidos no evento, para que os empresários associados tornem-se adeptos desses processos.

"É bastante promissor para Pato Branco e para todos os municípios da região. Conforme os números apresentados, as compras públicas movimentam muito dinheiro (R$ 1 bilhão no Sudoeste, em 2016 - sendo que R$ 600 milhões foram para empresas de fora) e temos que ter ferramentas que nos ajudem. O Escritório de Compras Públicas é um aliado para manter os recursos aqui".

O executivo da ACEPB revela ainda que "há uma proposta junto à Prefeitura de Pato Branco, para destinar espaço específico na associação e melhorar o atendimento para MEIs e empresários, seja em capacitação ou na oportunidade de fazer a licitação na própria ACEPB".

Compra Sudoeste

O programa pretende potencializar a implementação e institucionalização da Lei Geral nos municípios, visando a melhoria do ambiente de negócios para os microempreendedores individuais (MEIs) e para empresários de micro e pequenas empresas (MPEs). O estímulo ao uso do poder de compra dos municípios e entidades governamentais e públicas poderá contribuir para o desenvolvimento socioeconômico da região Sudoeste do Paraná.

A Lei Geral, de 2014, estabelece uma série de benefícios e condições específicas para empresários de micro e pequenas empresas. O capítulo V, sobre o Acesso a Mercados, estabelece tratamento diferenciado e favorecido às MPEs. Nas licitações, por exemplo, será assegurada, como critério de desempate, a preferência de contratação para as microempresas e empresas de pequeno porte.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Foto: Antônio Menegatti

Foto

Notícias Relacionadas