PatoBranco.com

Corintiano brutalmente agredido em confronto recebe alta; sete serão indiciados pelo crime

Publicado em: 19/06/2017 07:50

O torcedor corintiano brutalmente agredido durante o confronto com coxas-brancas foi liberado do hospital na tarde deste domingo (18) e segue agora para São Paulo. A informação foi confirmada durante entrevista coletiva realizada na Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe) com a participação do secretário de Segurança Pública (Sesp), Wagner Mesquita.

Inicialmente, o delegado Clóvis Galvão, responsável pelas investigações, havia recebido a informação de que uma pessoa tinha morrido na briga. "Ao chegar no estádio, essa notícia foi repassada para a imprensa sem uma confirmação. Posteriormente, os investigadores foram até o hospital e viram que não era nada disso, corrigindo o estado de saúde da vítima, que estava estável", afirmou.

Prisão

Um dos envolvidos na confusão, suspeito de desferir os golpes mais fortes contra a vítima, foi preso em flagrante no meio da torcida organizada do Coritiba, ainda durante o primeiro tempo do jogo. Além dele, outros seis torcedores do Coxa serão indiciados pela agressão - destes, três já foram identificados. "O detido aparece nas imagens analisadas pela equipe da Demafe chutando a cabeça da vítima, um homem de 29 anos, que estava caída no chão e não conseguiu se defender", disse Galvão.

De acordo com a polícia, a vítima desceu do ônibus, que estava estacionado ao lado do Estádio Couto Pereira, com o objetivo de confrontar a torcida organizada rival. Ela foi alcançada por eles e acabou brutalmente agredida.

Assim que a denúncia chegou até a delegacia, uma equipe foi designada para apurar o caso. Imagens de circuito de segurança foram analisadas pela equipe, que chegou até o principal suspeito poucas horas após o crime.

Na Demafe, o jovem confessou a autoria do crime. Ele é integrante da torcida organizada do Coritiba há bastante tempo e não possuía antecedentes criminais. O rapaz responderá pelo crime de tentativa de homicídio, que tem uma pena de oito a 20 anos de prisão. Ele aguarda à disposição da Justiça.

Ônibus teriam burlado a escolta

Segundo o secretário Wagner Mesquita, três ônibus e uma van de torcedores do Corinthians desviaram do caminho marcado para a escolta policial. "Esses veículos não acataram os procedimentos combinados e fizeram um trajeto diferente, passando muito próximo da sede dos torcedores rivais. Isso foi determinante para o grave incidente que resultou na lesão da vítima. É importante lembrar que nós mantemos um banco de dados de todos os integrantes das torcidas organizadas, com a ajuda da direção desses grupos, para coibir esse tipo de situação", afirmou.

Ainda de acordo com ele, a Sesp já trabalha com a implantação de sistema de câmaras e acesso por biometria aos estádios como forma de combater a violência entre torcidas.

Fonte: Banda B - Polícia Civil
Foto: Banda B - Polícia Civil

Foto

Notícias Relacionadas