PatoBranco.com

Frio extremo: Bariloche registrou a temperatura mais baixa de sua história

Publicado em: 16/07/2017 14:59

Inicialmente pensava-se que a pior queda de neve dos últimos 20 anos seria suficiente para dar a Bariloche uma temporada completa de inverno. No entanto, o frio também fez seu papel: de acordo com o Serviço Meteorológico Nacional (SMN), a cidade de Rio Negro registrou a temperatura mais baixa de sua história.

Durante esta madrugada, às 4:22h, quando chegou a temperatura de -25,4ºC. O SMN disse em seu Twitter oficial que esta marca quebrou o registro de -21,1º C, registrado em 30 de junho de 1963.

A imagem das principais cidades da Patagônia são em certa parte preocupantes.

A falta de energia, fechamento de estradas, voos cancelados, árvores e postes de iluminação caídos, entre outros acontecimentos. O que gerou um verdadeiro caos em várias cidades deixando praticamente isoladas algumas áreas que se preparavam para receber turistas nas férias de inverno.

San Carlos de Bariloche foi uma das cidades mais afetadas pela nevasca. Até a madrugada deste domingo, cerca de 16.000 usuários (32% do total) estavam sem energia elétrica, enquanto a 'Ruta 237' e algumas rodovias da região estiveram bloqueadas por diversas horas.

"Esta tempestade de neve foi semelhante a que aconteceu no ano de 1995, onde um grande número de árvores e postes caídos destruíram por inteiro as linhas de energia e comunicação", informou a Cooperativa de Eletricidade de Bariloche (CEB).

Segundo o jornal 'Black River' somente no sábado 15, 20 voos de Buenos Aires para Bariloche foram cancelados. E outros três foram desviados para Chapelco, em San Martin de Los Andes.

"A questão aeroporto é complexa. Praticamente ficamos 36 horas sem vôos o que deixou vários turistas nervosos. Principalmente os que queriam ir para casa", disse o prefeito de Bariloche, Gustavo Gennuso, ao canal A24.

Ainda na sexta-feira 14, cerca de 2.500 passageiros ficaram presos em Bariloche e não puderam voltar para suas casas. Muitos dos quais haviam voos em conexões, o que aumentou mais o problema.

Como se isso não fosse suficiente, a maioria dos hotéis da cidade, estão com todos os quartos reservados nas próximas duas semanas. Muitos dos que não conseguiram decolar estão abrigados no aeroporto.

"Na semana passada, já estávamos com uma taxa de ocupação de 75%, esta semana como tivemos o início das férias de inverno em Buenos Aires, Santa Fe e Córdoba, está tudo praticamente lotado. Ainda assim, estamos aconselhando os hoteleiros para que alojem os que não conseguiram partir, pois quem fez reserva e não chegou até agora, não vai conseguir chegar", disse o secretário de Turismo de Bariloche, Marcos Barberis.

Além disso, o governo de Bariloche pediu aos hotéis que deem descontos extras para os que ficaram presos. Alguns turistas reclamaram de que hotéis cobraram cerca de 2.000 pesos acima da tarifa normal para que pudessem passar a última noite.

Muitos turistas que ficaram no aeroporto de Bariloche reclamaram que durante a manhã deste domingo, o sistema de calefação foi desligado, enquanto fora a temperatura estava bem abaixo de zero.

Fonte: Traduzido por PatoBranco.com - Infobae.com
Foto: Télam

Fotos

Notícias Relacionadas