PatoBranco.com

Presidente do Sindicato Rural fala sobre projetos de biogás e energia limpa visitados durante viagem à Europa

Publicado em: 04/12/2017 06:34

Há quem diga, e tenha a certeza, de que as fontes renováveis serão responsáveis pelo futuro da energia no Brasil. Na Europa, essa realidade já é vivenciada. Convidado pelo vereador Vilmar Maccari (PDT), o ex-vereador e presidente do Sindicato Rural de Pato Branco, Oradi Caldato, esteve na Câmara de Vereadores compartilhando as experiências vividas em recente viagem à Europa.

No continente europeu, Caldato, ao lado de autoridades, representantes de diversas entidades e agricultores, visitou propriedades e conheceu de perto os projetos desenvolvidos ligados ao biogás, energia eólica e energia solar. A comitiva contou com mais de 130 pessoas, que visitou centros de pesquisas e propriedades rurais na Itália, Áustria e Alemanha. Foi uma oportunidade de conhecer de perto as ações voltadas a geração de energia limpa.

"Nesses locais, praticamente tudo é aproveitado para gerar energia. Capim, restos de comida, frutas descartáveis, silagem, sorgo, dejetos de animais, são aproveitados para a geração de energia", contou. Na Itália, por exemplo, Caldato contou que a comitiva visitou uma propriedade onde praticamente todo o fertilizante utilizado na fazenda vem de fontes naturais.

"Lá, 50% de milho de silagem, 20% de sorgo e 30% de esterco bovino são utilizados como uma mistura para a produção de fertilizante. Com isso, produz-se fertilizante adequado para a lavoura com teores ideais de nitrogênio, fósforo, potássio e outros nutrientes que o solo tanto precisa", contou Caldato. De acordo com ele, 100% do fertilizante utilizado na fazenda é natural e não químico.

Na Alemanha, por exemplo, a comitiva descobriu que das 22 usinas nucleares existentes para a geração de energia, somente 12 estavam em funcionamento e até 2020 todas deverão parar suas atividades. Os produtores também descobriram a importância das camas de aviário, considerada uma excelente fonte de energia. Lá, além dos dejetos, animais que precisam ser sacrificados e ovos que são descartados também são utilizados na geração de energia.

Para Caldato, que é membro da Faep (Federação da Agricultura do Estado do Paraná), é fundamental que o Estado busque alternativas para a geração de energia. "Inclusive, conversei hoje com o secretário de estado da Agricultura do Paraná e ele me contou sobre a intenção de implantar um marco regulatório para que a geração de energia limpa e renovável seja um programa de estado. Podemos ser um estado de vanguarda nisso", afirmou.

De acordo com o vereador Maccari, é fundamental que o Município também passe a planejar ações voltadas a geração de energia limpa. "Temos um aterro sanitário e uma usina de tratamento de esgoto que podem ser fontes riquíssimas de energia renovável, além de termos uma região baseada na agricultura e agropecuária. É o tema que precisamos debater com o Executivo, pois as fontes de energia renováveis serão o nosso futuro", enfatizou.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Foto: Assessoria de Imprensa

Foto

Notícias Relacionadas