PatoBranco.com

Paraíso do Tuiuti faz história com o desfile mais politizado em muitos anos de Sapucaí

Publicado em: 12/02/2018 14:36

A Marquês de Sapucaí testemunhou neste domingo mais uma de suas noites históricas. Em um Carnaval que prometia ser o mais politizado em muitos anos - talvez desde a década de 1980 -, a Paraíso do Tuiuti se posicionou e promoveu uma grande crítica às condições do trabalhador brasileiro.

A escravidão acabou em 1888, com a Lei Áurea? Pelo o que a Passarela do Samba viu, a Tuiuti acha que não é bem assim.

Uma das alas mais comentadas no pré-Carnaval, a dos manifestantes fantoches, tinham componentes vestidos com camisas alusivas às da CBF, segurando frigideiras e colheres de pau. Eles levavam ainda um pato como uma boia e uma grande mão, de onde pendiam cordas presas ao corpo dos desfilantes. Neste domingo, a ala passou no teste e foi uma das mais saudadas.

A reportagem apurou que os componentes da ala foram orientados a não responder possíveis provocações ou protestos por parte do público, e que apenas cantassem o samba realizando alguns poucos movimentos coreografados. O mesmo valia para eventuais manifestações de apoio, o que acabou acontecendo, de alguma forma.

No último carro, um componente escreveu "Fora, Temer" na frigideira que compunha a fantasia. Na mesma alegoria, um vampiro com uma faixa presidencial fazia uma clara alusão ao presidente Michel Temer (PMDB), em um tipo de crítica ácida que a Sapucaí não via há muito tempo.

No final do Sambódromo foram ouvidos gritos de "Fora, Temer", e a escola chegou à Praça da Apoteose ovacionada. Enquanto isso, no Twitter, a Tuiuti surgia no primeiro lugar dos trending topics.

Fonte: Band
Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo Marcos Arcoverde/Estadão Conteúdo

Fotos

Notícias Relacionadas