PatoBranco.com

Contato com lagarta pode causar hemorragia e até matar? E não há soro contra o veneno? Veja o que é verdade e o que não é!

Publicado em: 09/03/2018 15:23

Circula pelo WhatsApp uma mensagem que alerta sobre a existência de uma lagarta ou taturana chamada lonomia oblíqua e cujo veneno pode provocar hemorragia interna, insuficiência renal e, em casos extremos, até a morte. Mais que isso, a notícia diz que não existe nenhum soro capaz de anular o efeito do veneno. A especialista comenta as premissas.

A médica infectologista Fan Hui Wen trabalha no Instituto Butantan, em São Paulo, há 26 anos. Ela tem pós-graduação em saúde pública e acompanha desde o início os casos de contato humano com esse tipo de lagarta venenosa e a produção do soro contra o veneno que o animal produz.

A médica explica que essa lagarta começou a ser descrita na Amazônia, perto da Venezuela, na década de 1960. No final dos anos 1980, começaram a aparecer casos de intoxicação no Sul do país e não havia tratamento porque não havia soro. Diante desse problema e do quadro de envenenamento, surgiu a iniciativa de produzi-lo.

Veja os trechos da mensagem e o que diz a médica especialista:

Lonomia aparece em áreas de mata e pode até matar?

TRECHO DA MENSAGEM: "Pessoal, se vc mora na região de Mata Atlântica SBCampo, Diadema, Santo André, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Baixada Santista e Região de Itapecerica da Serra, Embu das Artes e outras cidades que possui este Bioma, *atenção*. Estamos na época de Lonomia, uma taturana extremamente perigosa, cujo veneno pode provocar hemorragia interna e insuficiência renal, podendo inclusive ocasionar a morte. Elas ficam aglomeradas nas árvores dessa maneira, que é uma das características dessa espécie. Se virem algo assim mantenha distância e não toque nelas e chame o Instituto Butantan. Insistam, pois eles ficarão gratos e será de muita utilidade."

MÉDICA FAN HUI WEN: "É verdade. Realmente a lonomia pode ocorrer durante o verão em áreas próximas da Mata Atlântica ou de resquícios da mata, mas elas não costumam ficar em áreas urbanizadas, perto do asfalto. Ocorrem cerca de 500 casos por ano de contatos entre lagartas e pessoas em todo o país, dos quais 0,5% resultam em morte. A maioria dos casos ocorre na região Sul. Acidentes com cobras, por exemplo, são 30 mil. Com escorpião, 100 mil. Também é verdade que a lonomia pode provocar hemorragia de pele e gengiva e provocar o aparecimento de manchas arroxeadas. Os casos de morte são raros, mas podem acontecer se a pessoa infectada não receber atendimento adequado. Quando ocorre o contato com a lagarta, a dor é imediata, mas nem sempre a pessoa associa esse contato com uma eventual hemorragia que pode ocorrer horas mais tarde. É sempre importante procurar o médico e relatar contatos desse tipo.

Além disso, elas realmente ficam aglomeradas em árvores, próximas do chão, para onde a lagarta caminha para encerrar seu ciclo de transformação em mariposa. Normalmente ficam no tronco de árvores, ao alcance da mão. E é realmente importante não tocar porque a lagarta só consegue tranferir seu veneno através da quebra de seus espinhos. Também é importante chamar o serviço de saúde ou zoonoses do município ou até mesmo o Instituto Butantan, porque essas lagartas devem ser recolhidas para produção do soro contra o veneno que elas produzem.

O chamado deve ser rápido porque em poucos dias elas mudam de lugar. Em geral, estão na copa das árvores e é nessa fase que o ataque acontece. Depois de dois ou três dias, elas já desceram e já é difícil encontrá-las. Quando a pessoa encontra esse tipo de animal, não deve matar. Antigamente, costumavam queimar a árvore onde o inseto era encontrado, mas essa prática não é recomendada, porque se não tiver as lagartas, não vai ter como fazer o soro. Recomenda-se isolar a árvore e chamar o pessoal da saúde para remover a lagarta."

Não existe soro contra o veneno do animal?

TRECHO DA MENSAGEM: "Não existe soro ainda".

MÉDICA FAN HUI WEN: "Essa informação não é verdadeira. O soro existe desde 1996."

Há um 'V' branco característico na cabeça da lonomia?
TRECHO DA MENSAGEM: "A cor dela pode variar de acordo com a região. Porém esse "V" branco na cabeça é característico e vivem agrupadas igual nessa foto ai."

MÉDICA FAN HUI WEN: "Isso é verdade. O V branco é uma característica, mas não é só isso que define a lonomia. Elas vivem em aglomerados e têm uma cor marrom esverdeada, com espinhos que parecem cactos ou pinheirinhos. A lagarta espinhuda é diferente das lagartas cabeludas."

A mensagem diz ainda que o veneno da lonomia é pior que o da cobra cascavel. Mas a médica afirma não ter parâmetros para comparar a gravidade do veneno da cascavel com a da lagarta. Além disso, o número de acidentes com a cascavel é muito maior que os com a lagarta.






Fonte: G1
Foto: Reprodução

Foto

Notícias Relacionadas