PatoBranco.com

Estiagem leva 31 municípios do RS a decretarem situação de emergência

Publicado em: 14/03/2018 14:09

A estiagem no Rio Grande do Sul levou 31 municípios a decretarem situação de emergência. Deste número, 17 tiveram os pedidos homologados e reconhecidos pelos governos estadual e federal.

O pedido mais recente foi feito pela prefeitura de São Gabriel, na Fronteira Oeste, onde os prejuízos no campo somam R$ 100 milhões, segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Por lá, não chove há mais de um mês. Por isso, falta água para os moradores da cidade.

A prefeitura informou que cerca de 200 famílias dependem do fornecimento de água. Mais de 100 bebedouros são construídos em propriedades rurais para atender à região. Até mesmo a barragem que abastece a cidade está em nível crítico.

Recentemente, diversos municípios afetados pela seca no estado reclamaram da falta de ajuda financeira dos governos estadual e federal. Porém, a Defesa Civil ressaltou que, neste momento, se preocupa com a auxílio humanitário, e que só poderá ser atendida a cidade com a situação de emergência homologada pelo governo do estado ou reconhecida pela União.

De acordo com a Defesa Civil, as cidades de Candiota, Pedras Altas e São Lourenço do Sul foram as únicas três que receberam caixas d'água. Candiota também recebeu kits de cestas básicas, junto com os municípios de Cerrito, Aceguá e Morro Redondo. Outras 19 cidades receberam tanques vinílicos com capacidade para 4,5 mil litros de água.

Municípios que decretaram situação de emergência devido à estiagem:

Amaral Ferrador

Cristal

Hulha Negra

Morro Redondo

Pedras Altas

São Jerônimo

Cerro Grande do Sul

Canguçu

Arroio do Padre

Turuçu

Bagé

Cerrito

Candiota

São Lourenço do Sul

Herval

Piratini

Camaquã

Dom Feliciano

Pinheiro Machado

Santana da Boa Vista

Chuvisca

Tapes

Aceguá

Capão do Leão

Sertão Santana

Sentinela do Sul

Butiá

Jaguarão

Pedro Osório

Arroio Grande

Barão do Triunfo




SANTA CATARINA

Os agricultores das cidades de Seara, Arabutã, Arvoredo e Concórdia, todas no Oeste catarinense, enfrentam dificuldades por causa da falta de chuvas.

Com isso, não há água suficiente para os produtores e animais das propriedades.

Em Seara, os agricultores estão chamando caminhões-pipa para amenizar a situação.

O reservatório de água de Seara está quase vazio, assim como o rio que abastece a área urbana. No interior do município, é a mesma situação de falta de água.

Dificuldades

Nos últimos 20 dias, o volume de chuva foi de 5 milímetros em Seara.

Em muitas propriedades, a situação é como no terreno do suinocultor Larri Toffoli, onde a cisterna de 500 mil litros de água está vazia há 10 dias e a solução é o caminhão-pipa.

Na propriedade, os 1,5 mil suínos consomem 15 mil litros de água por dia.

O suinocultor, em 30 anos de atividade, nunca ficou tão preocupado: "A gente tinha várias nascentes na nossa propriedade e a gente se servia com elas. Para os animais, para a família, para o gado. Mas dos últimos dias para cá, sumiram todas".

Com isso, a prefeitura recebe muitos chamados para abastecimento com caminhões-pipa.

"Nós temos solicitações a cada dia aumentando. Começamos com duas, três propriedades. Hoje, estamos atendendo de 15 a 20 propriedades", afirmou o secretário de Agricultura de Seara, Ernesto Gomes.

Fonte: G1 Globo
Foto: Reprodução/RBS TV

Foto

Notícias Relacionadas