PatoBranco.com

Moro diz estar sobrecarregado e abre mão de processo que investiga fraude em pedágio do Paraná

Publicado em: 13/06/2018 09:03

O juiz federal Sérgio Moro abriu mão de julgar os processos da 48ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Operação Integração, que apura um esquema fraudulento nas concessões de rodovias federais no Paraná junto à concessionária Econorte. O processo foi encaminhado para 23ª Vara Federal de Curitiba, sob a responsabilidade do juiz Paulo Sergio Ribeiro.

Segundo o magistrado, a ação penal não tem conexão com casos de corrupção na Petrobras ou com os crimes praticados no âmbito do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, que é o que move as investigações da Operação Lava Jato. Desta maneira, ele entendeu por razoável a separação dos processos, o que não geraria "grandes dificuldades para o processo e julgamento, já que as provas podem ser compartilhadas entre as Varas Criminais e Federais de Curitiba".

Sérgio Moro também justificou no despacho que está sobrecarregado com as persistentes apurações de crimes relacionados as investigações da Lava Jato. De acordo com o despacho, "o número de casos é elevado, bem como a complexidade de cada um, gerando natural dificuldades para processamento em tempo razoável".

A Operação Integração foi deflagrada em fevereiro deste ano, seis pessoas foram presas. Entre elas, o ex-diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), Nelson Leal Junior. Na época, o Palácio Iguaçu foi alvo de mandados de busca e apreensão.

As investigações começaram na Vara Federal de Jacarezinho. Segundo Moro, ele assumiu a competência da ação penal por notar conexão entre a Lava Jato e o caso, em função das buscas e apreensões também terem sido direcionadas aos operadores Adir Assad e Rodrigo Tacla Duran.

Fonte: CBN Curitiba
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Foto

Notícias Relacionadas