PatoBranco.com

Reinaugurado Museu Histórico de Marmeleiro

Publicado em: 20/06/2018 06:55

A Administração Municipal reinaugurou o Museu Histórico de Marmeleiro, que estava desativado desde meados de 2016, e inaugurou a Casa dos Pratos de Madeira e Xiloteca (coleções de madeira) Erich e Sueli Apel. Ela é considerada a maior coleção de Pratos do Mundo e o material já foi exposto em alguns países (Alemanha, Holanda, França e Bélgica). Todo o material foi doado pela família Apel ao Museu, um pedido deixado pelo artista antes de sua morte, aos 84 anos, em 2015.

Participaram da cerimônia, o prefeito Jaimir Gomes, a primeira-dama Elizangela Gomes da Rosa; o vice-prefeito Altair Gabriel e esposa, Jane Junques; a Diretora de Educação e Cultura Marilce Bednarsk; a Chefe da Divisão de Cultura, Claudete Lanferdini , o Luciano Apel, e familiares do Erich e Sueli Apel. Além de diretores Municipais, professores, parentes e amigos de familiares que doaram peças ao Museu.

O atual local (Rua Emílio Magno Glatt, nº 65, Centro) possui um espaço mais amplo e original, pois funcionará em uma antiga casa da cidade, construída no final da década de 60. O museu estará aberto ao público das 7h30 às 11h30 e das 13h15 às 15h15, de segunda a sexta-feira. Os grupos que desejarem visitar o museu podem ligar no fone 3525-3203 ou no 3525-8130.

Durante a reinauguração, o prefeito Jaimir Gomes lembrou que "por acreditar na memória de quem constrói a nossa história, abraçamos uma iniciativa inédita e transformamos uma Sala do museu, na Casa dos Pratos de Madeira e Xiloteca Erich e Sueli Apel". Recordou ainda que, quando o Luciano Apel, filho do Erich, procurou a Administração Municipal para compartilhar o desejo do pai e "de imediato aceitamos o desafio e nos comprometemos em colocar a coleção em nosso Museu e para nós, é uma honra fazermos parte desta história".

O prefeito Jaimir também agradeceu ás famílias que doaram as peças para contar um pouco mais da história de Marmeleiro.

Ao todo são 09 ambientes no Museu, mais de 2.500 peças antigas além dos 756 pratos de madeira da Xiloteca e dezenas de objetos também de madeira como, esferas, cálices, cumbucas, castiçais, relógios e outros.

A Diretora de Educação e Cultura, Marilce Bednarski, ressalta que "éde grande importância para nosso município e principalmente para nossos educandos. Este local é uma fonte de saber, é um espaço de produção e socialização do conhecimento, de identificação do sujeito com a sua história e a memória dos nossos antepassados".

Para o filho de Erich, Luciano Apel, o momento foi muito emocionante. " Eu prometi para o pai que tentaria manter o acervo intacto. Ele tinha muito orgulho da obra e tinha amor por cada prato e cada obra dele; a gente revive muitas coisas vendo esses pratos, lembrando da pessoa dele. A mãe (Sueli) foi fundamental na vida dele. Eles foram um casal muito unido e ela sempre o apoiou e a família o incentivou. É gratificante ver o trabalho dele exposto. Ele tinha paixão quando mostrava para as crianças das escolas que iam visitá-lo e agora o acervo vai ficar na história do município".

A Claudete da Silva Apel, nora do Erich, também se emocionou com a cerimônia. "É a vida dele revelada neste museu. É uma história muito bonita, fez parte da minha vida, e faz parte das pessoas desta cidade. A emoção toma conta da gente e serve de inspiração para outras pessoas. Quando ele ficou viúvo ele se dedicou inteiramente a esse trabalho. Foi uma forma dele continuar vivendo, e encontrou nos pratos a companhia para viver com ele os dias que lhe restavam e isso é uma coisa muito bonita".

Fonte: Assessoria de Imprensa
Foto: Assessoria de Imprensa

Foto

Notícias Relacionadas