PatoBranco.com

Exportação do pescado de SC tem queda de 19% entre janeiro e julho

Publicado em: 17/08/2018 04:44

A exportação do pescado catarinense registrou queda de 19,1% de janeiro a julho de 2018, conforme os indicadores de comércio exterior da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc).

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, afirmou que o principal motivo é a suspensão da importação do pescado do Brasil por parte da União Europeia (UE).

A exportação de pescado do Brasil para a UE já estava suspensa por iniciativa do governo brasileiro desde dezembro, quando o bloco sinalizou que a fiscalização sanitária das embarcações de pesca do país não estava em conformidade com as políticas europeias.

O governo queria ganhar tempo para fazer os ajustes apontados por auditores europeus. Só que a União Europeia não esperou.

A secretaria da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina informou que, em 2017, o estado exportou US$ 2,5 milhões para a UE. Foram 277 toneladas de pescado mandadas para o bloco econômico.

O embargo da UE causou prejuízos no estado, apesar de que foram ampliadas as exportações para outros locais, como Taiwan, Uruguai e Estados Unidos, segundo o secretário.

"Santa Catarina é o maior produtor e exportador de pescados do Brasil. Somos o estado mais impactado. Um quarto das nossas exportações eram para a União Europeia", afirmou Spies.

O secretário também disse que houve uma reunião nesta quarta-feira (15) em Brasília em que foi montado um grupo de trabalho para tentar resolver a situação do embargo.

Uma das estratégias é buscar a reabertura imediata do mercado de peixe de água doce, que é criado em cativeiro e não necessita de licenciamento de barcos para ser capturado.

Outra alternativa é adequar as regras nacionais às da UE para que a exportação de peixes do mar volte. Segundo Spies, o grupo de trabalho deve tomar essas iniciativas em 30 dias.

Suspensão

Em uma auditoria no ano passado, a UE encontrou irregularidades em algumas empresas, mas todas acabaram pagando o preço.

Em comunicado, o bloco informou ao Ministério da Agricultura que está "deslistando todos os estabelecimentos pesqueiros e navios brasileiros que ainda são elegíveis para exportar produtos de pesca para a UE".

O Ministério da Agricultura chegou a apresentar um plano para se adequar às exigências da União Europeia, mas o bloco alega que as respostas das autoridades brasileiras foram "insatisfatórias para a maioria das recomendações".

Fonte: G1 SC
Foto: Reprodução / NSC TV

Foto

Notícias Relacionadas