PatoBranco.com

Com a ajuda de vizinhos, polícia divulga retrato falado do principal suspeito de ter matado brasileiros na Argentina

Publicado em: 19/10/2018 08:53

Os moradores do município de Pozo Azul, em Misiones, na Argentina, ainda estão aterrorizados e comovidos pelo assassinato do casal de brasileiros. O policial aposentado Elio Pereira de Mattos de 65 anos e sua esposa Inés Lima dos Santos de 55 anos foram encontrados mortos pelo filho Lorisnei dos Santos de Mattos, 31 anos, na terça-feira (16).

Os corpos foram localizados em um dos quartos da residência do casal, localizada em Picada Diez, a cerca de cinco quilômetros da área urbana de Pozo Azul, parcialmente cobertos por um colchão. Estima-se que os assassinatos foram cometidos entre sexta e sábado.

Os crimes causaram comoção nos vizinhos por ser uma região muito calma onde nunca antes havia acontecido algo parecido, até mesmo algum fato de roubo. Além disso, a residência onde tudo aconteceu está localizada em uma área habitada, cercada por outras casas e até uma escola.

O casal de Barracão estava morando no local há cerca de um ano e se dedicava à atividade agrícola.

Conforme os próprios vizinhos, durante esse período, o casal nunca se envolveu em qualquer inconveniente ou conflito com outros moradores da área. Pelo contrário, eles foram descritos como pessoas "boas" e "solidárias".

Cara a cara com o suspeito

As vítimas moravam sozinhas, não tinham parentes diretos no município e costumavam viajar constantemente para o Brasil. Dessa forma os vizinhos não suspeitaram de nada irregular ao verem que o carro Nissan Tida não estava na residência. Também não suspeitaram da presença de um sujeito estranho que apareceu em torno do lugar no sábado.

Uma pessoa conhecida do casal relatou à equipe de reportagem que talvez tenha estado cara a cara com um suspeito. Tudo aconteceu no fim de semana. "No sábado veio um homem estranho, ele foi recebido por Elio, tomaram chimarrão e conversaram. Meu marido foi até o vizinho e o homem, que falava português, abriu uma janela, com a cabeça baixa e perguntou ao meu marido o que ele queria. Ele disse que queria conversar com o vizinho, mas o cara respondeu que ele não estava lá e com o dedo apontou que ele estava em outro vizinho e voltou para dentro da casa", destacou a mulher de 42 anos.

No domingo à tarde, o mesmo vizinho voltou a tentar falar com Elio, mas na casa não havia ninguém e o carro do casal não foi encontrado, então a conclusão foi de que eles haviam viajado para o Brasil, já que eles nunca viajavam sem o carro. Na segunda-feira Elio tinha uma consulta médica marcada no Brasil e não compareceu, o que levantou suspeita do filho Lorisnei, que pediu para um vizinho de Pozo Azul para conversar com os pais, mas o mesmo não conseguiu conversar com o casal.

Preocupado ele foi até Pozo Azul e acabou encontrando os pais mortos. O casal estava com os pés cobertos por um colchão e o resto dos corpos embaixo de uma cama. Havia muito sangue na cozinha, onde pode ter ocorrido os assassinatos. Segundo os vizinhos não ouviram tiros ou gritos.

Sobre o suspeito que estava na casa no final de semana, os vizinhos descreveram que ele era moreno, alto e robusto e falava em português.

O homem misterioso, que usava um boné cobrindo o rosto, teria chegado a pé na propriedade e fugiu usando o carro das vítimas, o qual foi abandonado em Dos Hermanas.

Para os vizinhos o crime provavelmente está relacionado a alguma vingança, já que o carro foi abandonado e Elio atuou como policial no Brasil. Nas últimas horas a polícia argentina divulgou um retrato falado do suspeito.

Fonte: El Território/ Portal Tri
Foto: El Território/ Portal Tri

Fotos

Notícias Relacionadas